IRONMAN BRASIL

  • EN

  • PT
  • Inscrições 2017 Sold Out

Brasileiros vencem de novo no IRONMAN 70.3 Rio de Janeiro.

Os paulistas Reinaldo Colucci e Luisa Baptista venceram a segunda edição de disputa, garantindo a hegemonia nacional.

Rio de Janeiro (RJ) - Deu Brasil de novo na Elite do IRONMAN 70.3 Rio de Janeiro. Na segunda edição do evento, realizada neste domingo, dia 6, na Praia da Macumba, no Recreio dos Bandeirantes, os atletas nacionais levaram a melhor após os 1.9 km de natação, 90 km de corrida e 21.1 km de corrida. Os triatletas paulistas Reinaldo Colucci e Luisa Baptista, ambos do Sesi de São Carlos, garantiram o topo do pódio em uma prova rápida e sem chuva. Colucci marcou o tempo de 3h55min13seg, enquanto Luisa fez a prova em 4h29min40seg. Ao todo, 1300 atletas, de 26 países, participaram do evento, que distribuiu 30 mil dólares de prêmio e pontos no ranking para a Elite. Para a Faixa Etárias foram distribuídas 40 vagas para o Mundial de 70.3 em Chattanooga (Tennessee/EUA).

Depois de muita chuva, especialmente na véspera, o dia amanheceu nublado mas seco no Rio de Janeiro neste domingo, garantindo a condição ideal para os participantes do IRONMAN 70.3. Com isso, todos andaram forte na busca pela melhor colocação. As mudanças no percurso, especialmente na corrida, ajudaram nesta diminuição de tempo em relação à edição do ano passado. O resultado agradou à organização.

"As alterações deram muito certo. É a consolidação do evento já em sua segunda edição. Ajustamos detalhes em relação ao ano anterior e a prova vai entrando cada vez mais forte no calendário mundial. O Rio de Janeiro tem um apelo muito forte por si só e estamos muito contentes com esse resultado", destacou Carlos Galvão, diretor-geral e organizador do evento.

Na disputa da Elite masculino, com tantas feras nacionais, a expectativa de um duelo forte se confirmou. Depois de sair no pelotão na natação, Reinaldo Colucci foi atrás da recuperação no ciclismo, assumindo a ponta na primeira volta. Seguiu mantendo o ritmo forte para sair em vantagem na corrida. A estratégia deu certo, mas obrigou o atleta a forçar bastante, dificultando os últimos quilômetros.

"Fiz muita força no ciclismo para abrir vantagem e senti as pernas pesarem na corrida. Tive de me concentrar muito para vencer", reconheceu o campeão. "Tenho muito a evoluir. Percebi as falhas e preciso corrigir para poder andar forte nas competições internacionais que são meu objetivo, especialmente garantir uma vaga para a final do Circuito Mundial, em Kona, no Havaí", completou o atleta de Descalvado (SP), vencedor dos 70.3 em Pucón e Cingapura e duas vezes vice no IRONMAN de Florianópolis.

As segunda e terceira colocações foram as mesmas do ano passado. Paulo Roberto Maciel da Silva foi o vice com o tempo de 4h57min06seg, enquanto Luiz Francisco Paiva Ferreira, o Chicão, o terceiro com 3h58min42seg.

Feminino

Se Colucci comemorou a primeira vitória de uma prova IRONMAN no país, Luisa Baptista, por sua vez, fez a sua estreia numa disputa do gênero e ainda com o topo do pódio. O segredo para conseguir a conquista for arriscar e ir para cima desde o começo. Foi a primeira na natação, no ciclismo e cruzou a linha de chegada, mesmo bem cansada e com dores, com vantagem de mais de quatro minutos para a segunda colocada, a argentina Romina Palácio.

"O tempo estava fresco e sem chuva, bem diferente do dia anterior. Com pista seca e menor chance de perigo, sabia que tinha de atacar desde o começo. Isso me motivou e ataquei na subida da serra, conseguindo abrir bem da Romina. Com boa vantagem, fui com tudo na corrida. Nos últimos 13 km administrei, pois paguei o preço pelo esforço. Tomei muita água para poder conseguir completar a prova", explicou a triatleta de Araras (SP), de 22 anos, e uma das revelações do esporte.

Romina, a vice-campeã do IRONMAN 70.3 Rio de Janeiro, completou o percurso em 4h33min43seg. Carol Furriela, vice em 2015, foi a terceira colocada, com o tempo de 4h35min00seg.